You are currently browsing the category archive for the ‘Datas’ category.

mini me

o louco  Bem maior   kkk 

“Ser assim é uma delícia,
Desse jeito como eu sou.
De outro jeito dá preguiça;
Sou assim, pronto e acabou!

(Palavra cantada)

É… vinte e quatro anos passam voando…
E minha mãe ainda cisma em dizer que eu não tive infância.
Mas eu tive, juro!

Brinquei muito na rua, debaixo dos áridos quarenta graus da minha cidade maravilhosa.
Pulei amarelinha e elástico no parque, desci no escorrega, caí do balanço, na gangorra eu via o céu de perto, montei quebra-cabeça, li turma da Mônica, vi muitos desenhos, subi em árvores, usei mertiolate na época que ardia, joguei queimada, pega-pega, pique-esconde, barra-manteiga e peteca…
Brinquei de Cancan, detetive… brinquei até de Bolinha-de-gude e bafão…
Quando ia à praia, construía castelos que pareciam lindíssimos à minha vista.
Mas também fazia coisas de menina, como por exemplo vestir as roupas e usar as maquiagens da minha avó, ou dar vida as barbies e a minha boneca moranguinho que tenho até hoje e que continua cheirossíssima!

Contudo, acho que a minha mãe ainda tem essa “opinião ” a meu respeito, porque eu cresci.
Eu cresci, e em meio a tantos livros que amo , ainda leio turma da Mônica…
Cresci, e continuo apaixonada pela Bela e a Fera, Pela Sininho, o Peter Pan, o Tico, Teco, e o Pato Donald…
Cresci, e ainda sei de cor, a maioria das músicas do Castelo Rá-Tim-Bum, e ainda falo na língua do I, do P e do G
Cresci, e ainda adoro andar descalça e tomar banho de chuva por opção.

Se vejo uma flor nascendo no meio do asfalto, corro para tirar uma foto.
E tirar fotos, é uma coisa que realmente eu AMO!
Se vejo um “personagem” engraçado na rua, tiro foto.
Se vejo um cartaz de cinema legal, tiro foto (com ele, é claro).
Adoro me maquiar e me fantasiar com as coisas mais esdrúxulas, só para tirar fotos!

Cresci, e ainda amo dançar e cantar bem alto.
Cresci, e ainda coleciono canetas e lápis-de-cor.
Cresci, e ainda escolho a cor do canudo quando compro um refrigerante.

Cresci, e hoje completo vinte e quatro anos.
Cresci e quero continuar crescendo, mas não quero mudar demais!

Parabéns pra mim!

^^

 neraly2.jpg

O fato é que é aniversário dela hoje! E eu sempre quis escrever alguma coisa, algo poético sobre ela, mas infelizmente não tenho este dom lírico…

 Sei que antes de qualquer coisa,  eu desejei muito essa pessoa na minha vida… diz a minha mãe que quando me deu a notícia de que estava grávida, a única coisa que eu falava era:

“- Mamãe, eu quero uma irmãzinha… se for menino pode dar para a vovó, tá?”  …  Tá né!

Done! Nossa relação de amizade fraterna começou quando ela disse a sua primeira palavra… Mamãe? Papai? Imagiiina!! Foi a tentativa do meu nome que de Lídia, passou a ser: “Diiiidaaaa”!!

O tempo foi passando, e nós fomos crescendo, brincando e brigando,  brigando e brigando, até que Dona Telma ficou descabelada, e um dia, em meio à mais uma briga “sangrenta”, tomou uma atitude drástica, que futuramente viria a mudar tudo em nossa relação canibal.  Nos colocou ajoelhadas no milho, com as mãos na cabeça, uma de frente pra outra, até pedirmos desculpas… e AI de nós se ousássemos a tentar abaixar os braços ou sentar, que o tapa ardia!

Sim! Até que para apenas duas crianças, fomos muito valentes… acho que aguentamos ajoelhadas pelo menos uns quinze minutos… (olha o que o orgulho não faz),  depois disso, pedimos as benditas desculpas e mamãe fez com que nos abraçássemos… Obrigatoriamente, claro!

Lógico que mesmo depois da “milharada”, nós ainda brigamos muuito, mas estas porém, foram brigas mais suaves… coisas do cotidiano da vida de irmãos… brigávamos, e daqui a cinco minutos estávamos de bem novo, nos falando como se nada tivesse acontecido… sempre que acontecia uma briguinha boba, nossas portas encontravam um bilhete com pedidos de desculpas… na hora essas coisas doíam, mas olho hoje e vejo como uma situação engraçada, que futuramente vou contar pros meus filhos, com certeza!  Se tem algo que eu odeio, que me corrói por dentro, que me deixa triste mesmo, é brigar com a Nathi, ou magoá-la…

Afinal, ela é a única pessoa que me aguenta o dia todo… aguenta quando estou com cólicas absurdas, ou com aquelas crises de exaqueca que só minha família sabe como é, ou quando eu tenho ataques múltiplos de bobeiras… é a única pessoa que topa se arrumar toda numa elegââância sem igual (risos), SÓ para tirar fotos… que também imita o Jay-Z para fazer dueto com a Mariah Carey (que era eu), que re-fazia clipes como “More than Words” do Extreme,  e “Smooth’ do Santana com o Rob Thomas, comigo…e cá para nós, ficava perfeito!

Uma coisa que me encanta é, é que cada uma tem seu quarto, mas vira e mexe dormimos juntas e passamos a madrugada toda conversando, como se fôssemos amigas que não se encontram a muito tempo…

Ah! Também temos um dialeto! Só nosso! E são só algumas e rarííssimas ( e da família) que entendem…

Ela que traz cházinho com biscoito cream cracker quando dá dor de barriga…hahaha… que observa as pessoas em qualquer lugar, seja no ônibus, metrô, ou na praça de alimetação de algum shopping, que nem eu…a pessoa que pensa, que olha e que fala as mesmas coisas, nas mesma horas que eu…

Enfim! ela é a pessoa que mais me conhece nesse mundo, coitada!!

Buenas… Feliz Aniversário gotosa!

Que Deus te abençõe muito e  a cada vez mais com as promessas e os sonhos que nasceram primeiro no coração dele para a sua vida!

AMO-TE!

Sintaxe à vontade

"Todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser.
Todo verbo é livre para ser direto ou indireto.
Nenhum predicado será prejudicado;
Nem tampouco a vírgula, a crase, nem a frase, e nem o ponto final!
Afinal, a má gramática da vida nos opõem entre pausas, entre vírgulas; e estar entre vírgulas é aposto.
E eu aposto o oposto que vou cativar a todos, sendo apenas um sujeito simples!"


GALERIA NAGULHA

julho 2017
D S T Q Q S S
« jan    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Tem gente!

Sobre a Leitura



"Deve-se ler pouco e reler muito.
Há uns poucos livros totais, três ou quatro, que nos salvam ou que nos perdem.
É preciso relê-los, sempre e sempre, com obtusa pertinácia. E, no entanto, o leitor se desgasta, se esvai, em milhares de livros mais áridos do que três desertos."

Nelson Rodrigues


"Apenas se deveriam ler os livros que nos picam e que nos mordem.
Se o livro que lemos não nos desperta como um murro no crânio, para quê lê-lo?

Franz Kafka.
SOBRE A ESCRITA...

"O que é que eu posso escrever? Como recomeçar a anotar frases? A palavra é o meu meio de comunicação. Eu só poderia amá-la!"


"Devemos modelar nossas palavras até se tornarem o mais fino invólucro dos nossos pensamentos.
Sempre achei que o traço de um escultor é identificável por uma extrema simplicidade de linhas.
Todas as palavras que digo - é por esconderem outras palavras."


"Escrevo porque encontro nisso um prazer que não consigo traduzir
Não sou pretenciosa.
Escrevo para mim, para que eu sinta a minha alma falando e cantando, às vezes chorando "...


"A palavra é minha quarta dimensão.
[...] escrever é o modo de quem tem a palavra como isca: a palavra pescando o que não é a palavra. Quando essa não-palavra - a entrelinha - morde a isca - alguma coisa se escreveu."


"Eu só escrevo quando eu quero. Sou uma amadora, e faço questão de continuar a ser amadora.
Profissional, é aquele que tem uma obrigação consigo mesmo de escrever, ou então em relação ao outro.
Agora eu faço questão de não ser profissional, para manter a minha liberdade"

Clarice Lispector

Twitter

“PRATRÁSMENTE…”

ARQUIVOS

Folheie!

  • 29,682 Folheadas




"É somente pelo amaciamento e disfarce da carne morta através do preparo culinário, que ela é tornada susceptível de mastigação ou digestão; e que a visão de seus sucos sangrentos e horror puro, não criam um desgosto e abominação intoleráveis."

Percy Bysshe Shelley.

DOE-SE

Alegria!



Vida!