Maçãs e Bananas                Adelma          

A Adelma, é uma amiga nossa, da família, dessas que a gente conhece os filhos, cachorros, papagaios e afins sabe?
Desde o dia em que a conheci, até hoje, cheguei à uma única conclusão…
A de que realmente a primeira impressão NÃO é a que fica!
Não pelo menos com a Adelma.
Quando você a conhece, acha que ela é a criatura mais quieta, calada e séria deste planeta, mas depois de umas duas ou três sessões de conversa com ela, e um pouco mais de intimidade,  a coisa muda de figura!
Rapaz, a bicha é arretada!
Ontem ela estava aqui em casa nos ajudando com os doces… e em meio à conversas de N categorias, ela começa e relembrar de sua infância no Recife.
Coisinhas bem lights, como por exemplo, quando ela e mais dois de seus primos bateram em seu tio com galhos de árvores, porque ele tinha os dedurado para a avó que roubaram goiaba na árvore do sítio vizinho…neste dia Adelma pegou escondido, porém emprestado, o paletó super quentinho de seu pai e foi dormir na árvore mais alta do sítio para não apanhar da avó.
Ou então como num dia em que ela colocou dois galões de querosene na piscina do colégio, pra ninguém participar da competição de natação… como não foi selecionada pro time, ninguém participaria também!
Ah…brincadeira de criança né…releva!!
Só que teve uma estória que ela contou, que definitivamente entrou pra história!
Vai vendo…

Adelma sempre estudou em colégio de freira (imaginem né…), e aprontava atéééé com as irmãs, que com todo seu amor,  bondade, paciência , impaciência e principalmente com sua fé, tentavam pelo menos aturar a menina que estava por volta de seus doze ou treze anos…não me lembro agora.., ou então,  tentavam ver se pelo menos o tempo passava rápido para chegar logo as férias, afinal, o pai de Adelma pagava direitinho e muito bem o colégio.
A menina adorava tomar vitamina de maçã com banana todos os dias pela manhã.
Não sei o que ela aprontou no colégio, mas o castigo foi que as freiras, durante três semanas, compraram todos os tipos de frutas…menos maçãs e bananas.
Como diz minha mãe, ela já estava com um quente e dois fervendo…doidinha pra aprontar mais uma…só de raiva.
Era segunda-feira, e o dia de vingança da Adelma estava por vir.
Este dia, era o dia seguinte, terça feira… o dia em que o entregador de frutas ia buscar o pedido da semana com a madre.
Pois bem, no fim de tarde de segunda-feira, estava Adelma em seu quarto maquinando um plano pra dobrar a madre,  e irritar quem trabalhasse lá, coitadas…
Então… passeando pelos corredores, ela ouviu não sei quem falar pra não sei quem  lá, que na terça-feira,  a madre superior tinha médico marcado.
Aaahh, a bichinha nem fez questão de pensar uma vez, que dirá duas…
Deu seu jeito, entrou na sala da madre, vestiu sua roupa, e sentou em seu lugar à espera do entregador…
Enfim, o rapaz chegou…

“TOC TOC TOC…”

– Entra.
– Oi madre, boa tarde… vim buscar o pedido…quais frutas a senhora vai querer?

Ela não falou nada… só entregou um papel escrito: “MAÇÃ E BANANA”…, e depois assinou a nota.
Feito!
Assim que o rapaz se foi,  ela também o fez.
Na quinta-feira, o entregador voltou com o pedido.

– Boa tarde madre… entrega de frutas.
– Frutas? Como assim? Não fiz o pedido da semana ainda…
– Ué, mas eu vim aqui na terça, e a outra madre fez o pedido.
– hummm…outra madre? Posso ver o pedido?

E ela deu de cara somente com maçãs e bananas…

– Posso ver a nota?
-sim madre…está aqui.

Quando ela se deparou com a assinatura, quase não acreditou… estava escrito:

“MADRE SUPERIOR ADELMA!!!”

Cara de paau ainda por cima… ahhahha…

A madre ainda a mandou rezar 300 ave-marias, e não sei quantos pai-nossos, e olha a resposta da garota…

– Ah madre, sinto muito… mas eu não vou rezar não viu… se eu rezar tudo isso, vou passar o resto da minha vida trancada aqui nesse colégio, e eu não quero isso meeeesmo… arranja outra maneira de Deus me perdoar aí vai…

E a madre a mandou para a cozinha por quase três semanas para descascar legumes e verduras…e como parte do castigo também, doou todas as maçãs e bananas para os orfanatos das redondezas.

Ahahhaha
Definitivamente, as histórias de mil novecentos e guaraná com rolha, são as melhores!

Esta foi apenas uma entre muuuitas outras que Adelma contou sobre sua infância.
E assim a tarde de doces, doces e mais doces, foi-se desenrolando tranqüila, divertida, calma e espontâneamente!

Anúncios